Tripulação, decolagem autorizada para o voo 2020

Atenção senhores organizadores de eventos, sejam bem-vindos a bordo do voo 2020 com destino ao Ano Novo. (Welcome aboard).

A companhia aérea ‘Sucesso’ está feliz por tê-los conosco, eu sou o comandante ‘Staff da Silva’. Informamos que de acordo com normas brasileiras, não é permitido fumar a bordo, nem nos toilettes (e não deveria ser nem fora?!).

Solicitamos a sua atenção para os procedimentos de aprendizagem com o ano de 2019 que serão detalhados pela tripulação. Passageiros sentados juntos às janelas e saídas de emergência serão orientados a manter a calma e terem pensamento positivo quanto ao manuseio das dificuldades que possam ter ocorrido no ano que finda e não será necessário saltar desse novo voo.

Olá, eu sou a comissária ‘MICE’, observe seu número de briefings,e,  por medidas de benchmarking, acomodem as bagagens de concorrências ganhas e perdidas nos compartimentos para reflexão e planejamento e as concorrências desleais e informações irrelevantes que não couberem, coloquem abaixo da poltrona à sua frente.

Por medidas de criatividade, permaneçam com o cinto desatado durante o brainstorming, conforme demonstração, solte as pontas e dê liberdade à imaginação.

Em caso de prazos apertados, falta de retorno de respostas, fornecedores que não cumprem prazos, ….  pode haver estresse e pressurização da equipe, saiba que máscaras de oxigênio cairão automaticamente. Puxem uma das máscaras para liberar o fluxo de oxigênio; coloquem-na sobre o nariz e a boca; ajustem o elástico em volta da cabeça e respirem normalmente, posteriormente auxiliem os coordenadores de atendimento, produção e financeiro da sua empresa.

Informamos que dentro do ano, alguns meses são flutuantes e oscilam em emissão de NF´s, prepare-se para que você não se afogue em dívidas por causa disso.

Esta aeronave possui luzes indicativas de emergência ao longo do ano, como tensão nas costas, constante resfriados e irritação, sempre que precisar utilize as saídas de escape localizadas nas duas portas dianteiras – como finais de semana na praia, um tempo a mais com a família ou nas quatro janelas sobre as asas – como participação em reuniões de associações para ações conjuntas ou até mesmo nas duas portas traseiras, repensando o plano de negócios e abordagens de mercado.

Solicitamos a leitura do manual, contendo as instruções de segurança detalhadas (avaliações dos eventos anteriores, notícias e números do mercado, eventos de inovação e artigos do Promoview), que se encontra no bolsão da poltrona à sua frente.

A equipe de bordo deseja a todos 365 dias, ops, 366 dias de muitos jobs e alegrias. Tripulação, check de portas, decolagem autorizada para 2020.

Autora: Líbia Macedo – Professora e Especialista em Eventos & Esporte

Profissional de eventos de ontem, hoje, amanhã e sempre

“O que você quer ser quando crescer?”

Na célebre pergunta que se faz às crianças ou adolescentes em fase de ingressar na universidade, não era muito comum a resposta “Quero ser organizador de eventos”.

Isso se deve ao fato desse setor não ser um setor propriamente dito. Eventos eram realizados pelas secretárias, ou pela madame que manja de menu e etiqueta, possivelmente pelo maluco beleza artista que criava festinhas para tocar ou até mesmo o apaixonado atleta que queria reunir pares para competir, enfim, é de pouco tempo a estruturação e o reconhecimento do profissional de eventos, que mesmo oriundo de áreas como Secretariado, Relações Públicas, Administração e Publicidade, hoje tem em seus cursos uma maior atenção à área, com cursos de tecnólogo à Pós-graduação, sem contar os programas livres que embasam essa carreira nomeada como Meeting Planner lá fora e aqui o Gestor de Eventos. 

Nessa evolução da área, muitas mudanças de ações e de quem gerencia o operacional vieram acontecendo.

Antigamente, casamentos eram organizados pela mãe da noiva, irmãs mais velhas, tias e primas de plantão. Com o passar do tempo e a vida agitada,  noivos precisam de um assessor de casamento que atenda desde o dia que você decidiu casar ou somente no grande dia com uma assessoria pontual.

Isso tudo considerando o estilo da dupla que pode ser baladeiro, tradicional, despojado e até mesmo minimalista, como os atuais elopment wedding*. Ainda na área social, os tradicionais bailes de debutantes nos clubes sociais que apresentavam a garota de 15 anos à sociedade, hoje são grandes produções, e, na verdade, é a “primeira” balada com muita pompa, mesmo tendo a conhecida valsa, logo na sequência a música eletrônica e o funk aparecem animando a festa.

Os eventos esportivos eram competições organizadas pelas confederações que representavam as modalidades, ou feitas pelas agremiações-clubes. Estas continuam atuando nos eventos, mas hoje existe a figura das agências de marketing esportivo que auxiliam essas entidades no fomento dos esportes e encontram sinergias de marcas que querem se associar ao bem-estar, atividade física, o lifestyle, impresso pelas diversas modalidades (surf, corrida, skate, ciclismo, vôlei, entre outras) e aqui os organizadores de eventos esportivos têm que dominar as especificidades dos esportes, criar ambientes de contato para as marcas e fazer com que esse produto seja interessante para as mídias (sem descaracterizar o produto e respeitando as regras) e também proporcionar experiências e entretenimento aos espectadores – presenciais e virtuais. Ufa!

Na área cultural, se muito de vez em quando recebíamos exposições de fora e algumas grandes bandas, hoje somos parte integrante das turnês de artistas e de mostras de diversas obras e acervos. 

Os shows, com suas produções incríveis de palco e cenários, encantam cada vez mais e os fãs, antes apenas contemplativos, e, até mesmo passivos, hoje interagem, seja por meio da oportunidade de acompanhar o show em diversos ângulos (lembram do palco U-2 em 2009 palco 360?), seja votando as músicas que vão compor o repertório do  show ou a possibilidade dos meet&greet, passagens de som privadas ou até mesmo os espectadores compondo o cenário do espetáculo, como o show do Arcade Fire num Coachella (Veja aqui).

Isso tudo é desafiante para os produtores que têm que alinhar ideias, fios, tecnologia e novos comportamentos.

No âmbito corporativo, os eventos ganharam dimensão maior e parte integrante do cotidiano e crescimento das empresas. Antes confiados às secretárias – que ainda muito se envolvem com esta área, mas hoje existem departamentos internos de eventos, que muitas vezes sem apoio de agências desenham, cotam e produzem as ações de eventos, mas em muitos casos a agência de comunicação é acionada.

As feiras e seus estandes enormes e cheio de arquitetura, atualmente são estandes pockets, mas sem deixar de ter uma assinatura institucional e tematicamente representar seus produtos/serviços num importante ponto de contato com seus visitantes, sem contar as feiras que têm muito mais de festival do que qualquer coisa, como a Campus Party, ComicCon, Adventure Fair entre outras, que literalmente são a representação do live marketing na veia.

Nas ações internas, as convenções de vendas eram de muitos dias e na agenda podia existir um dia livre para o lazer, atualmente bem mais enxutas com 3 dias no máximo, programação focada em relatórios/treinamento, próximos passos, uma possível fala motivacional, podendo ter algo de team building, com sorte.

Desafio para o profissional de eventos em encontrar espaços eficientes, pensar em atrações e conteúdo que se encaixem em agenda diminuta, sem deixar de ser impactante e inovador – lembrando que todo ano acontece, portanto, sempre com a expectativa do diferente.  

O gestor de eventos, faz tempo deixou de ser o organizador de festinhas, ou ajudante do setor de marketing, ele virou Pensador de Eventos, que elabora as ações de maneira estratégica, saindo de mera ferramenta de comunicação para ser linguagem que expressa o branding, o valor de produtos/serviços, demonstra engajamento com causas, cria relacionamento e encanta os participantes.

E nessa ciência de detalhes, precisamos profissionais que devem observar como o consumidor/participante vê o acontecimento e trabalhar na gestão desses desejos que às vezes manifestam-se de forma implícita.

Acompanhar esse mundo cheio de informações, não é tarefa fácil para ninguém, ainda mais com as gerações abecedário que temos hoje em dia**, mas o gestor de eventos, tem que estar antenado nos perfis dos vários públicos, imbuído de uma pitada de ousadia nos projetos, demonstrar emoção claramente em suas propostas, deve ser cooperativo e adaptado num papo que se adeque do marceneiro ao CEO da empresa, ter o DNA genuíno do servir e arranjar uma brecha para frequentar eventos, pois assim ela “respira” essa atmosfera e se inspirar constantemente.

Não é tarefa fácil trabalhar com eventos hoje em dia, talvez por isso a figura abaixo aconteça.

*https://pt.wikipedia.org/wiki/Elopement_Wedding

**Sugiro o livro do Bial e Cortela – Gerações em ebulição.

Autora: Líbia Macedo – Professora e Especialista em Eventos & Esporte

Boas Festas!!!!

Em 2019, vocês foram ÓTIMOS Gestores de Eventos, por isso Papai Noel vai trazer MAIS Sucesso, Briefings e o Dica Day novamente.

SAVE THE DATE 30/04/2020

Festa de Natal corporativa: Chega do mais do mesmo

Estamos próximo do término do ano e me chama a atenção como clientes e organizadores de eventos, mantem o mesmo mindset quando se fala de festas de fim de ano.

Como qualquer evento, esta ação precisa de briefing e objetivos, e, quando pergunto aos meus clientes, qual seu objetivo da festa, vem o chavão: Comemorar e revolvendo o briefing, percebo que não é isso.

Muitas empresas fazem a festa de final de ano por medo de não fazer mais e os funcionários acharem que a empresa está quebrando ou que eles não são importantes.

Podemos ter vários objetivos para uma festa de final de ano corporativa: Brindar um ano difícil que todos colaboraram e conseguiram passar; Novas diretrizes implementadas que surtiram efeito; Fusões de empresa que mudaram o status quo da corporação e foi bem delineada e aceita; Metas alcançadas; Um agradecimento aos colaboradores; Muitos outros ou todos esses itens juntos e até o confraternizar.

O que importa é que o(s) objetivos estejam claros para que a proposta de evento possa contemplar essas necessidades. Do outro lado, vejo agências de eventos que simplesmente ficam no “fazedores” e não no “pensadores” e criam projetos se preocupando pura e simplesmente com o local, uma ou outra atração e um brinde dentro da verba.

Na Era do live marketing, podemos avançar em muitos conceitos e entregar tantas possibilidades:

  • Uma atividade artística que funcionários geridos por um artista plástico possam ter uma manhã de criação e de execução de um painel que retrate o DNA da empresa e do ano vivido, deixando uma “obra de arte” residual desse momento;
  • O propósito tão em voga hoje em dia, onde os colaboradores podem desenvolver uma campanha de arrecadação, ou de melhorias numa escola/creche/asilo perto ou até mesmo organizarem uma festa de Natal para quem nunca tem festa numa destas entidades, gerando convívio e contribuição à quem precisa;
  • Um grande caça ao tesouro na cidade-sede da empresa ou da fábrica, conhecendo pontos turísticos, restaurantes típicos, estátuas e seus significados, culminando num grande almoço em algum destes pontos. Trazendo repertório e a vivência da localidade de maneira diferente e divertida;
  • Uma aula de culinária ensinando pratos típicos de ceia de maneira colaborativa e entregando a receita e os insumos para que façam posteriormente com suas famílias;
  • Um amigo secreto sorteado no dia do evento, mas anteriormente comunicado, onde o presente tem que ser feito pelo participante, explorando as habilidades e hobbies de todos;
  • Games Party: Rodada de jogos de tabuleiro (dos tradicionais aos milenares), pinball, air rock , telas com videogame, de maneira a trazer a oportunidade de jogarem sozinhos e com diferentes duplas e times, explorando a participação de todos de maneira divertida;
  • A questão ambiental que pode ser explorada com a limpeza de uma praia, praça, beneficiando o local com colocação de lixeiras, avisos de cuidado do espaço, arrumando bancos e até mesmo discutindo como implementar isso no dia a dia da empresa e quem sabe, ao final, culminando com uma grande piquenique;
  • Faça uma enquete do que e como os funcionários gostariam de comemorar este final de ano, podemos nos surpreender com as ideias e entregar o que a maioria quer e acredita.

Vejam que os exemplos acima são extremamente vivenciais, saem do ambiente de trabalho, utilizam a cocriação, trazem oportunidades de residual e manter elementos vividos que podem ser resgatados internamente e/ou com familiares, como lembrança e reflexão.

Vamos explorar esse momento tão especial de outras maneiras e que faça a diferença para todos.

Boas Festas !!!!

Autora: Líbia Macedo – Professora e Especialista em Eventos & Esporte

Dica Evento’s Day | 07/05/2018

O Dica Evento’s Day surgiu para comemorar o dia do Profissional de Eventos, presenteando os iniciantes e profissionais do setor com um encontro de conteúdo para inspirar, atualizar e discutir o segmento MICE, bem como possibilitar o networking, provocando parcerias entre os participantes, além de expor novidades trazidas por fornecedores especiais. Criação Dica Eventos e Organização TP Eventos

Dica Evento’s Day 2018 | MTi Service

Apaixonados por soluções em radiocomunicação, a MTi Service conquistou a certificação de Revenda Premium Motorola logo em seus primeiros anos de operação.

Acreditamos que o sucesso de uma parceria está no atendimento realizado com primazia, na oferta de serviços acompanhadas de conhecimento que transformam gastos em investimentos e produtos que possam oferecer a melhor experiência no ambiente de trabalho.

Auxiliamos nossos clientes com a compra e locação dos equipamentos adequados para cada necessidade, nas etapas iniciais de fechamento. E, como toda empresa focada nos resultados dos clientes, prestamos assistência técnica pós compra, estando presente e prestando suporte em todo o processo.

A maneira inteligente de se comunicar é também a solução mais rentável para seu negócio!

Dica Evento’s Day 2018 | Kalinka

Kalinka Carvalho é Consultora, Palestrante e Produtora de Conteúdo em Organização Residencial e Pessoal. É Formada em Publicidade e Propaganda e tem MBA na área de Marketing. Trabalhou durante onze anos na área de eventos e quatro anos na área de marketing e comunicaçāo. Conhecida por ser extremamente organizada, resolveu se especializar e em 2010 se tornou personal organizer. É associada a ANPOP – Associaçāo Nacional de Profissionais de Organizaçāo e Produtividade. No blog dá dicas de organização pessoal, residências e eventos, além de disponibilizar gratuitamente listas e checklists para downloads. Seu principal objetivo é ajudar as pessoas a se organizarem tornando suas vidas mais prática.